De visita, visitado, visitando...

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Que Horas São?

Quem vem lá???

online

Posts recentes

De regresso...

Seguidinhas...

Andando pela "Montanha Ru...

Uma ida à Motorclassico 2...

Uma ida à Motorclassico 2...

E o Guga?...

Uma ida à Motorclassico 2...

Uma ida à Motorclassico 2...

Voltando a pôr a escrita ...

Voltando a pôr a escrita ...

Quantos São?!?!? Quantos São?!?!

free html counters
Dell Coupons

 

 

 

Outras Visitas

tags

todas as tags

Arquivos

subscrever feeds

Quarta-feira, 21 de Julho de 2010

É a economia, estúpido!!!! (Até que um dia isto rebente tudo)

DR

 

 

Boa noite, Visitantes

 

 

Há cerca de três semanas li este apontamento no site do "Diário de Notícias":

Portugal ganhou 600 novos milionários em ano de crise

   

"No final de 2009 havia 11 mil portugueses com fortunas superiores  a um milhão de dólares, mais 5,5% do que em 2008

 

 

A crise em que mergulhou o País durante o ano passado não impediu que a lista de portugueses com uma fortuna avaliada em mais de um milhão de dólares (815 mil euros) ganhasse 600 novos nomes. De acordo com o estudo World Wealth Report 2009, elaborado em conjunto pela Capgemini e Merrill Lynch, no final de 2009 havia em Portugal um total de 11 mil milionários, um número que representa um crescimento de 5,5% face aos 10 400 milionários registados no relatório de 2008.

 

Segundo o relatório da Capgemini e Merrill Lynch - que exclui da contabilização do património as casas e restantes bens consumíveis -, a subida do número de milionários em Portugal foi alimentada pelo aumento dos preços do imobiliário (em 0,2%) e pela forte descida das taxas de juro. Outro factor apontado no World Wealth Report para o crescimento de mais de 5% no número de milionários portugueses foi a valorização da Bolsa portuguesa, que cresceu 33,5% em relação a 2008. A valorização de muitos títulos - principalmente no terceiro trimestre do ano, quando o PSI-20 valorizou 19,2% - terá contribuído fortemente para o crescimento de fortunas no País, salienta o estudo.

 

Os 600 novos milionários portugueses juntam-se assim a uma lista que é encabeçada pelos empresários Américo Amorim (fortuna avaliada em 2,83 mil milhões de euros), Belmiro de Azevedo (1,09 mil milhões de euros) e Joe Berardo (618,2 milhões de euros). Juntos, estes três milionários têm uma fortuna avaliada em mais de 4,5 mil milhões de euros, equivalentes a 2,8% do PIB.

 

Para o crescimento das fortunas milionárias em Portugal pouco ou nada contaram os números da recessão da economia portuguesa, adianta o World Wealth Report. Recorde-se que em 2009 registou--se uma contracção de 2,7% do PIB, o recuo de 21,8% nas exportações e o decréscimo da produção industrial em 8,1%. Ao longo do ano passado, destacam ainda a Capgemini e a Merrill Lynch, há ainda a assinalar a queda do consumo interno em 10%.

Não foi só em Portugal que o número de milionários aumentou. O relatório ontem divulgado aponta para um crescimento de 17,1% em 2009, atingindo um total de 10 milhões de pessoas que possuem uma fortuna avaliada em mais de um milhão de dólares. A Capgemini e a Merryl Lynch destacam ainda que, além do número de milionários ter aumentado, as suas fortunas também engordaram durante o ano passado. No final de 2009, a totalidade destas fortunas ascendia a 39 mil milhões de dólares (cerca de 31,8 mil milhões de euros).

 

Na apreciação que fizeram dos resultados deste estudo, os responsáveis pelo relatório referem que "os últimos anos têm sido relevantes para os investidores ricos". Segundo Sallie Krawcheck, do Global Wealth & Investment Management, "enquanto em 2008 a riqueza global dos milionários sofreu um declínio sem precedentes, um ano depois existem claros sinais de recuperação e em algumas áreas verifica-se mesmo o regresso aos níveis de riqueza e crescimento registados em 2007".

 

(Texto de JOÃO CRISTÓVÃO BAPTISTA)

 

 

 

Resumindo, e por mais desculpas que se inventem, quem tinha dinheiro com mais dinheiro ficou.

 

Ora bem, deixem-me reflectir um pouco:

 

Que fazer com uma economia que assenta no progressivo empobrecimento das pessoas?

 

À medida que as pessoas vão empobrecendo, deixa de haver disponibilidade para aquisição de bens...

 

Logo, deixará de haver quem forneça esses bens, por falta de clientela...

 

Logo, deixará de haver quem possa pagar ordenados...

 

Logo e por consequência, deixará de haver quem possa pagar impostos...

 

Logo, mais sobrecarga para o Estado com subsídios de desemprego...

 

Logo... logo... logo...

 

Até que um dia isto rebente tudo...

  

Será que ninguém aprendeu a lição?...

 

 

Tenham uma boa noite

 

Visitante

 

 

Sinto-me:
Música: "Money Money Money" (Abba)
Publicado por Visitante às 20:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

GENESIS - FADING LIGHTS