De visita, visitado, visitando...

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Que Horas São?

Quem vem lá???

online

Posts recentes

De regresso...

Seguidinhas...

Andando pela "Montanha Ru...

Uma ida à Motorclassico 2...

Uma ida à Motorclassico 2...

E o Guga?...

Uma ida à Motorclassico 2...

Uma ida à Motorclassico 2...

Voltando a pôr a escrita ...

Voltando a pôr a escrita ...

Quantos São?!?!? Quantos São?!?!

free html counters
Dell Coupons

 

 

 

Outras Visitas

tags

todas as tags

Arquivos

subscrever feeds

Sexta-feira, 17 de Setembro de 2010

"Três Corpetes, Um Avental, Sete Fronhas e um Lençol"...

 

Olá, Visitantes

 

 

Decerto que se lembram da frase com que intitulei este "post".

 

É isso mesmo! Trata-se de parte do refrão da "Canção da Roupa Branca", celebrizada por Beatriz Costa no filme "Aldeia da Roupa Branca".

 

E foi precisamente aqui que o filme foi rodado: a Charneca, antigamente do Milharado, hoje da Venda do Pinheiro, e que se situa a poucos quilómetros da Malveira.

 

Em boa hora, e há pouco tempo, os organizadores das Festas em Honra de S. Sebastião decidiram incluir nas mesmas a celebração do tema "Aldeia da Roupa Branca". 

 

Afinal, foi aqui que o filme foi rodado. Porque não recuperar por uns dias o ambiente saloio do princípio do século XX?

Aqui podemos ver algumas peças de roupa a "corar ao sol" (OK, era de noite, mas o que conta é o simbolismo, certo?) 

 

Estas festas tomaram uma dimensão enorme, pondo a um canto os festejos onde ainda tive oportunidade de tocar por mais do que uma vez, há mais de 20 anos, nos meus tempos de músico de bailaricos.

 

Toda a parte central da Charneca foi ocupada com barracas de artesanato, guloseimas, comes e bebes, etc. No entanto, quero deixar em destaque alguns brinquedos de madeira reproduzindo mobiliário em miniatura. 

 

Apesar de serem brinquedos femininos, eu guardo uma memória muito forte deles, pois a minha irmã teve alguns...

 

A bonecada com vestes saloias...

 

Gostei muito destas alfaias agrícolas. Achei um piadão à forma "naïf" dos bois...

 

A criançada dispunha de dois burros para curtos passeios.

("Vem cá mê estipor / tu tens mais valor / que muito homem casmurro / Ê digo-te a ti / qu'há homens p'ra mim / mais bestas qu'a ti mê burro". Esta canção, também do filme, é das coisas mais engraçadas que até hoje eu ouvi...)

 

Igualmente andava por ali um carro de bois, com uns dinâmicos músicos saloios a animar as gentes... 

 

Quem se sentisse mal, tinha direito a assistência nesta ambulância dos Bombeiros Voluntários da Malveira...

 

Aqui o terreiro central, com a sede da colectividade à direita. Esta é - ou, pelo menos há cerca de 20 anos, era... - uma das salas com melhor acústica para bandas filarmónicas.

 

Aquela saloia começou a dizer-me: "Oh mê Senhore! Quer que lhe lave as ceroilas?"

 

E eu, com ar muito importante, disse-lhe: "Não, muito obrigado!"

Fotos HM

 

 

E foi assim que eu e a minha Piquena fomos visitar a Aldeia da Roupa Branca.

 

Tenham uma boa noite

 

 

Visitante

 

 

 

 

Sinto-me:
Música: "Canção da Roupa Branca"
Publicado por Visitante às 20:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
3 comentários:
De lina a 18 de Setembro de 2010 às 00:04

adorava cantar esta canção em pequenina e vi o filme éne vezes e naquela altura a Malveira era longe ihihihihi agora é já aqui!
Bjs bom fim de semana
De Frederico Verissimo a 15 de Novembro de 2010 às 09:48
 Esta canção da Aldeia da roupa branca a  do burro (Vem cá meu estipor tu tens mais valor) é realmente muito engraçada seria possível passarem-me o titulo eu agradecia.Cumprimentos Frederico Verissimo
De Visitante a 21 de Novembro de 2010 às 20:28
Olá, Frederico

Esta canção chama-se "ARRE BURRO", foi incluída no filme "Aldeia da Roupa Branca" e integrada na revista "ARRE BURRO" (1936), protagonizada por Beatriz Costa, Vasco Santana e António Silva.

Cumprimentos
Visitante

Comentar post

GENESIS - FADING LIGHTS