De visita, visitado, visitando...

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Que Horas São?

Quem vem lá???

online

Posts recentes

De regresso...

Seguidinhas...

Andando pela "Montanha Ru...

Uma ida à Motorclassico 2...

Uma ida à Motorclassico 2...

E o Guga?...

Uma ida à Motorclassico 2...

Uma ida à Motorclassico 2...

Voltando a pôr a escrita ...

Voltando a pôr a escrita ...

Quantos São?!?!? Quantos São?!?!

free html counters
Dell Coupons

 

 

 

Outras Visitas

tags

todas as tags

Arquivos

subscrever feeds

Quarta-feira, 2 de Maio de 2007

Som de Memória Presente

D.R.

 

 

 

Boa tarde, visitantes.

 

 

Tão pretensiosamente intelectual título vai servir para ilustrar uma pequeníssima história.

 

A empresa onde trabalho situa-se em pleno centro de Lisboa. Julgo que, em termos mundanos, não há zona mais cosmopolita do que esta, a não ser a Baixa.

 

Eu bem sei que temos o Parque das Nações, mas... isso são "modas" e não "tradição"...

 

Voltando à "vaca fria", estava eu a sair do meu local de trabalho para ir almoçar, quando ouvi um som fantasmagoricamente penetrante vindo não sei de onde, que transportou de imediato a minha memória para a meninice no meu bairro (onde, aliás, ainda hoje resido).

 

Era o inconfundivel som, simultaneamente pungente e agreste, de uma "flauta-de-pan" plástica.

 

E as notas que dela provinham eram as mesmas que, há muitos anos, se faziam ouvir quase diariamente no meu bairro.

  

Era a música do amolador.

 

Com um sorriso nostálgico, vi uma imagem da minha infância de bairro nos anos 60 transportada para o Século XXI, e registei a passagem de um homem com cerca de 60 anos, levando uma bicicleta-oficina pela mão.

 

Só tive pena de não rever aquela pequena obra-prima de engenharia que era o velho carro-bancada-oficina que, em conjunto com o característico som daquela flauta-de-pan plástica, formava uma das mais fortes imagens de marca desta "Lisboa de outras eras" (parafraseando as palavras de José Galhardo e Amadeu do Vale em "Lisboa Antiga").

 

Até o almoço me fez outro proveito...

 

O pior é que também se cumpriu uma velha superstição: quando o amolador tocava a gaita, estava a "pedir chuva"...

 

E choveu...

 

 

Visitante

Sinto-me:
Música: "Lisboa Antiga"
tags: ,
Publicado por Visitante às 12:55
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

GENESIS - FADING LIGHTS