De visita, visitado, visitando...

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Que Horas São?

Quem vem lá???

online

Posts recentes

De regresso...

Seguidinhas...

Andando pela "Montanha Ru...

Uma ida à Motorclassico 2...

Uma ida à Motorclassico 2...

E o Guga?...

Uma ida à Motorclassico 2...

Uma ida à Motorclassico 2...

Voltando a pôr a escrita ...

Voltando a pôr a escrita ...

Quantos São?!?!? Quantos São?!?!

free html counters
Dell Coupons

 

 

 

Outras Visitas

tags

todas as tags

Arquivos

subscrever feeds

Sexta-feira, 3 de Agosto de 2007

8500...

Brother PC-8500 Sewing and  Embroidery Machine

DR

Sinto-me:
Música: "I know You're Out There Somewhere" (Moody Blues)
tags: ,
Publicado por Visitante às 11:17
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
4 comentários:
De Cristal a 3 de Agosto de 2007 às 18:17
Parabéns pelas 8500 visitas , só vem comprovar o quanto as pessoas que te visitam gostam de ti ...
estando eu nelas incluida
Beijos cristalinos Mâuro
De Visitante a 4 de Agosto de 2007 às 13:55
Olá Cristal

Seria hipócrita se não me sentisse lisonjeado pelo volume de visitas.

Sem falsas modéstias, penso que tenho conseguido fazer alguma coisa de jeito...

É claro que não me quero comparar, nem de perto nem de longe, às sumidades que escrevem noutros blogues... Esses/as são mestres/as na arte de bem escrever, e tomara eu poder chegar-lhes dois metros abaixo dos calcanhares...

Mas é gratificante... e isso incentiva-me a continuar.

Báijinho do Gaijo da Téarra dos Mâuros
Bisitánte
De vicallacer a 4 de Agosto de 2007 às 11:13

Parabéns pelas "8.500 Visitas". É obra!

Parabéns pelo belo, "Lindíssimo" poema que deixou na "Ode ao Mar" no Vivências da sua (Nossa) Amiga MT.

Permita-me por isso, deixar-lhe aqui um poema meu ( o + recente), ainda sobre o tema do "Mar":

“Sempre o mar… e o vento!”


se fosse o vento…
se fosse a “força” e o “som”, deste meu vento suão
o secreto motivo e definitiva razão
para o desassossego das marés
da ira e do pranto… do lamento,
dores inéditas deste atípico movimento,
desse teu mar…

esse mar, único e original
que, ora me implora beijos
em desalinho total…
ora,
me insulta o instinto e o pecado,
em delírios escandalosos…
para logo de seguida,
se expor em vernácula espuma branca,
lenta e mansa… franca,
tal como um “fado”, a teus pés…

se fosse o vento, dizia…
se fosse esse vento suão,
então…:

- inteiro e para perpétua reclusão
o recolheria de lés-a-lés
e… o devolveria ao mar…
a esse teu mar justo e desassombrado,
para assim se fazer justiça!

Com destino à eternidade
Cumprindo as ditosas leis da claridade
E divina luz da evidência
O vento suão… o vento assim transformado
Em apóstolo do silêncio triunfal
Ficará para sempre condenado
a arder nas entranhas do mal,

onde sereno o teu mar…
se tornará imortal!

07.08.04
jls-Vitor


Um abraço
Vitor
De Visitante a 4 de Agosto de 2007 às 14:06
Obrigado, Vitor

Belo poema...

Um abraço
Visitante

Comentar post

GENESIS - FADING LIGHTS