De visita, visitado, visitando...

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Que Horas São?

Quem vem lá???

online

Posts recentes

Eu sou assim...

Hoje a minha vida ficou u...

Uma foto...

Para a Margarida

O verso e o reverso (uma ...

Passagem

Para a Blogando-me

Não está...

Reflectindo um pouco...

Para ti, minha Pequerruch...

Quantos São?!?!? Quantos São?!?!

free html counters
Dell Coupons

 

 

 

Outras Visitas

tags

todas as tags

Arquivos

subscrever feeds

Quinta-feira, 3 de Março de 2011

Eu sou assim...

HM

 

 

 

Eu admito que, muitas vezes, não sou uma pessoa fácil de aturar.

 

Tenho o meu feitio, com momentos de alegria, boa disposição, humor, e outros de tristeza, irritação, tudo isto aliado a um temperamento que, quando explode, "leva tudo à frente". Mas enquanto for explodindo, a coisa vai...

 

No fim de contas, sou um gajo vulgar, sem qualquer nome sonante nem pendor mediático...

 

Mas... também como toda a gente, gosto de ter algum bom trato por parte das pessoas que estimo.

 

Talvez, por exemplo, eu esperasse ouvir algumas vozes no meu telemóvel, ao invés de SMS no seu visor, quando eu passei por aquele momento tão difícil que foi a morte da minha mãe.

 

Porque foi assim que eu sempre procedi quando senti ou soube que essas - e outras - pessoas precisaram de ouvir uma voz.

 

Eu bem sei que não há pessoas iguais, tal como não há graus de amizade iguais. Há os "prioritários" e os "outros". Eu também os tenho. Isso é lógico e natural; como tal, incontestável.

 

Mas eu sempre fiz ouvir a minha voz e/ou estive presente (fosse "prioritário" ou "outro") quando senti ou soube que essas pessoas precisavam.

 

Talvez as SMS's fiquem mais baratas que umas chamadas telefónicas. 

 

Mas os amigos não têm preço.

 

Por isso, quando sinto que pessoas de quem gosto se afastam de mim, é porque para elas eu perdi o valor que me davam.

 

Quando isso acontece... eu não "expludo" nem digo mais nada. Pura e simplesmente, "desligo" e corto o contacto. Com desgosto? Sim... Mas a vida continua e os cemitérios estão cheios de pessoas insubstituíveis.

 

 

Tenham uma boa noite

 

 

Visitante

 

 

Sinto-me:
Música: "Fading Lights" (Genesis)
Sábado, 27 de Novembro de 2010

Hoje a minha vida ficou um pouco mais rica

 

 

Olá, Visitantes

 

 

Esta tarde tive de ir mudar uma lâmpada do DJ (um "mínimo" que se fundiu).

 

Aproveitando o facto, a minha Piquena requisitou os meus serviços para comprar umas velinhas de cheiro (é pena que ainda não estejamos no Carnaval, senão comprava-lhe velinhas de mau cheiro... hihihihi).

 

Depois de uma voltinha a pé pelo ponto de venda das velinhas, meti rodas ao caminho e fui visitar uma loja.

 

(Não, Visitantes, ainda não iniciei as compras de Natal... embora reconheça que já devia...)

 

A loja em questão é a LOJA DO JORGE.


 

A LOJA DO JORGE é um projecto de uma amiga, agora tornado realidade.

 

Quem estiver no Facebook (quem não está, hoje em dia?) pode aceder ao perfil da LOJA DO JORGE clicando aqui.

 

Segundo as palavras dessa minha amiga, "tudo começou com um sonho de poder proporcionar ao Jorge uma vida profissional de mãos dadas com a tradição portuguesa. A diferença faz a diferença".

 

Sobre os produtos comercializados nesta loja, cito a informação prestada no referido perfil.

 

" 'A Loja do Jorge' é uma loja que prima pela oferta de produtos exclusivamente nacionais.


Os nossos fornecedores têm uma tradição de excelência e qualidade que passou de geração em geração.


Com um histórico de fabrico com mais de cem anos, mantêm a memória gravada na magia das suas fórmulas e o "saber fazer", que perdura através dos tempos.


'A diferença faz a diferença'


Saboaria e Perfumaria Confiança:


Esta fábrica preserva toda a sua experiência adquirida com o método de saponificação usando ingredientes de origem natural e vegetal, não testados em animais, de acordo com as normas da qualidade.


Os seus sabonetes, embalados com bom gosto de classe, conservando os rótulos com os desenhos originais, primam pela excelente qualidade e elegância dos seus desenhos em relevo, sobressaindo os aromas.


Olaria Patalim:


Recriando o passado “trabalho artesanal e tradicional”, moldando o barro e pintando-o à mão e ao “sabor do pincel”, os artesãos da olaria Patalim, em São Pedro do Corval, mantêm a criatividade lado a lado com a tradição nos seus desenhos e padrões coloridos.


Leite de Colónia:

 

A fórmula do leite de colónia é um segredo bem mantido e não revelado. Por isso, se diz que ainda nada foi inventado melhor que o Leite de Colónia. Hoje, foi desenvolvida uma gama de produtos de alta qualidade para realçar ainda mais a beleza da mulher portuguesa.


Trapologia/Patchwork:


Uma arte de tecelagem manual que aproveita retalhos cortados em tiras e formas geométricas, num jogo de cores dando vida as mais variadas peças exaltando a imaginação das mãos que transformam os trapos.


Fábrica Alentejana de lanifícios :


As mantas alentejanas são trabalhadas em teares manuais com cerca de cem anos. Em lã, sem qualquer mistura de fibras sintéticas, as mantas traduzem uma grande qualidade mantendo os padrões originais – riscas, espigas, quadrados, castelos, losangos.


Cosmética e Drogaria:


Os produtos Nalli (creme benamor, alantoíne, óleo de amêndoas doces) são referências que se relevam na área da cosmética justificando a sua fama ao longo dos anos.


Continua inegável a qualidade do restaurador Olex. Sempre inquestionável nos resultados é ainda e cada vez mais o preferido de muitos portugueses.


Encerite: O brilho e uma limpeza impecáveis alheados a aromas inconfundíveis.


Pasta medicinal couto: Desde décadas, a saúde reflectida no sorriso dos portugueses.


Sabonetes de tratamento – Enxofre, alcatrão, glicerina, lavanda, azul e branco – conservando as suas características e propriedades hidratantes e purificantes.


Coração: O limpa pratas que protege e conserva os metais com um brilho incomparável e de longa duração."

 

 

 

 

 

É lógico que vocês se interroguem por que motivo estou para aqui a dar tanta informação sobre uma loja. Afinal, há por aí tantas lojas, não é? Mas porquê esta em especial? Por ser de uma amiga minha?

 

A primeira resposta é: não.

 

A segunda resposta é: porque o "dono da loja" é o Jorge.

 

 

O Jorge é portador de Trissomia 21.

 

Os seus pais entenderam por bem proporcionar ao Jorge um meio de subsistência. Assim sendo, lançaram mãos à obra e abriram este espaço.

 

Visitantes, apresento-vos a Paula, o Jorge, o Carlos e a Teresa.

 

 

Por isso, se quiserem oferecer umas prendas bonitas com produtos nacionais de qualidade e cuja imagem tem sobrevivido a todas as mudanças impostas pelo "marketing" de consumo imediato (e a prova dessa sobrevivência é que são imediatamente reconhecidas...), vão à LOJA DO JORGE.

 

Façam como eu, que comprei uma coisinha para oferecer à minha Piquena, coisinha essa que a Teresa (à direita) coloca diligentemente no saco enquanto a Paula é "apanhada" na foto... hehehehe.

 

Fotos HM

 

 

Falta saber onde podem ir:

Rua Circular Sul do Bairro da Encarnação,30 D 1800-135 Lisboa.
Telefones: 964262858 / 960059324.
Para encomendas, e-mail para: lojadojorge30@hotmail.com

Visitantes, o exemplo desta família tocou-me bem fundo. Considero que, a partir de hoje, a minha vida ficou um pouco mais rica.

 

Continuem a ter um excelente fim de semana. O meu, depois desta visita, melhorou substancialmente!

 

 

Visitante

 

 

Sinto-me:
Música: "He Ain't Heavy He's My Brother" (Hollies)
tags: , ,
Domingo, 14 de Novembro de 2010

Uma foto...

 

 

HM

 

 

 

Uma palmeira com os seus ramos, todos eles nascidos de um tronco forte.

 

O rasto de dois aviões no céu, nascidos da palmeira num jogo de ilusão de óptica.

 

Um, prestes a desvanecer-se no ar, e o outro ainda com uma condensação bem visível, mas que desaparecerá tal qual o primeiro .

 

Apenas a Palmeira ficará - se, obviamente, um cataclismo não a derrubar...

 

(Isto traz-me à memória uma reflexão que deixei neste blog no dia 13 de Junho de 2008... O teor continua sempre actual...)

 

Tenham uma excelente semana.

 

 

Visitante

 


Sinto-me: desapontado
Música: "Second Hand Company"
Publicado por Visitante às 17:04
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 18 de Abril de 2009

Para a Margarida

HM

Marvão

 

 

Minha Amiga/Alma Gémea

 

 

Não interessa há quanto tempo nos conhecemos. Muito? Pouco? Bom, isso depende de diferentes perspectivas, como é lógico.

 

O que interessa, isso sim, é que desde o primeiro dia tivemos uma espécie de "click apaixonado" (passe a expressão e salvaguardadas as devidas distâncias, claro!) que nos fez desenvolver aquela profunda amizade que hoje mantemos.

 

Uma amizade feita de tantos momentos de grande cumplicidade, total abertura, sorrisos malandros, risos estridentes - e algumas lágrimas também...

 

Uma amizade que sobreviveu a algumas pequenas intempéries, que só a fortaleceram.

 

Hoje, estas palavras são para ti.

  

Aproxima-se o tempo de uma mudança substancial na tua vida.

 

A tua busca terminou.

 

O "Sonho" realizou-se (ou devo dizer antes que acordaste do sonho e que a realidade é muito melhor?).

 

O Sol brilha.

 

(Mesmo que este dia tenha estado cinzento e chuvoso - mas que importa?)

 

Quero que saibas que este teu amigo está aqui. E que as pontes entre nós nunca cairão.

 

"Like a bridge over troubled waters", "I'm on your side when times get rough"...

 

 

 

Beijinho, Escorpiona Linda

 

O teu - sempre - amigo

Visitante

 

 

 

Sinto-me:
Música: "Bridge Over Trouble Waters"
Sexta-feira, 27 de Março de 2009

O verso e o reverso (uma reflexão)

DR

 

 

Por vezes, há coisas que nós temos de aprender à nossa própria custa.

 

Na vida, há o verso e o reverso das coisas.

 

Numas vezes estamos em cima, noutras em baixo; numas vezes pensamos que temos tudo, noutras vemos que não é bem assim; numas vezes ganhamos algo à custa da perda de terceiros, algo que noutras vezes perdemos porque outrem ganhou - ou recuperou... - à nossa própria custa.
 

Por muitos anos que vivamos, por mais maturos que pretendamos ser, haverá sempre o momento em que somos assolados por um sentimento quase infantil de despeito.

 

Despeito por acharmos que fomos preteridos a favor de terceiros.

 

Despeito por acharmos que fulano ou fulana estima mais este ou aquele do que a nós próprios.

 

Eu sou sincero: isso já me aconteceu antes.

 

Eu também já me vi confrontado com situações em que pessoas minhas amigas, levadas pelo entusiasmo de novas e diferentes amizades, se distanciavam um pouco de mim.

 

E também fiquei despeitado pelo facto, apesar de compreender (embora sem aceitar bem) as circunstâncias. Mas...

  

...Mas nos momentos maus, era a mim que se recorria, pois era eu quem estava LÁ, pronto para um abraço e de colinho à disposição - isto, apesar de, nesse momento, até poder achar-me com alguma, digamos, "legitimidade" para tirar desforço.

 

Porém, nunca o fiz. Uma pessoa amiga estava a precisar de mim...

 

É por isso que, hoje, as pessoas minhas amigas sabem perfeitamente com o que podem contar da minha parte. E sabem dar valor aos nossos bons momentos, tendo perfeita noção de que podem contar comigo nos maus.

 

Sem que seja preciso exteriorizar o despeito pela existência de terceiros.

 

 

Tenham um bom fim de semana

 

 

Visitante

 

 

Sinto-me:
Música: "Jealousy" (Martin Solveig)
tags: ,

GENESIS - FADING LIGHTS