De visita, visitado, visitando...

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Que Horas São?

Quem vem lá???

online

Posts recentes

No dia seguinte, comecei ...

Uma comparação

Estes são os "meus" locai...

Relato quase desportivo

Quantos São?!?!? Quantos São?!?!

free html counters
Dell Coupons

 

 

 

Outras Visitas

tags

todas as tags

Arquivos

subscrever feeds

Terça-feira, 30 de Junho de 2009

No dia seguinte, comecei "Mexido" e acabei "Gonzado"

 

 

Pois foi!

 

Este vosso amigo quis experimentar o "Mexa-se na Marginal".

 

O meu joelho vai precisar de ser operado, isso não há dúvida nenhuma. Lá para Outubro tratarei desse assunto, tanto mais que não me sinto desconfortável.

 

E apesar de neste momento não poder correr, ainda posso andar. Ora, quando ando, ANDO!

 

Mas voltemos ao "Mexa-se na Marginal". Como muitos de vocês já sabem, este evento consiste em podermos circular a pé, de patins, de bicicleta, etc., na Av. Marginal, que é fechada ao trânsito automóvel. Nesse espaço, existem alguns locais patrocinados por diversas entidades de um modo ou outro ligadas à prática desportiva.

 

Tudo isto para vos dizer que me puseram a andar... E adivinhem quem me pôs a andar?... Sim, foram as "duas comadres"!

 

Combinado que foi o encontro junto ao restaurante "Mónaco", eu decidi-me a  fazer um "programinha extra".

 

Como tal, viajei de comboio entre o Cais do Sodré e a Cruz Quebrada.

 

HM

 

...onde me apeei. Apresento-vos o calçadão da Gibalta, onde tantas vezes fazia a minha corrida vespertina. Espraiei os olhos por este percurso...

 

HM

 

... e meti pernas ao caminho. Tinha cerca de 1.500 metros pela frente até ao final do calçadão... coisa pouca!

 

HM

 

Aqui faltavam cerca de 250 metros.

 

 

HM

 

A chegada ao ponto de encontro, na curva do Mónaco, e os cumprimentos da praxe... UI!!!  Olha que o de baixo é meu, menina!!!

 

CC

 

Aí iniciámos uma caminhada de 7 kms, que nos levou até à Escola Náutica em Paço d' Arcos e volta.

 

Quando percorremos a Avenida Marginal de carro, não nos damos conta de alguns pormenores, pois as características desta estrada não nos permitem apreciar a paisagem com a atenção que esta merece. No entanto, quando andamos a pé... olhem só!

 

HM

 

HM

 

HM

 

Estava a chover , o que fez desmobilizar muita gente. Mas quem enfrentou este tempo certamente se sentiu compensado.

 

HM

 

Perto da curva dos Três Pinheiros, estava colocado um grupo de bicicletas fixas, pedaladas por praticantes assíduos (e outros talvez nem por isso), todos monitorizados por um instrutor. As "duas comadres" quiseram participar e insistiram para que eu o fizesse também. Embora renitente ao princípio (pois, por um lado, a minha experiência com bicicletas limitava-se à condução esporádica de "pasteleiras", e, por outro, não sabia como iria reagir o meu joelho) lá alinhei. E, claro está, tive problemas, pois a bicicleta fixa, embora seja ajustável em comprimento e altura, não o estava para o meu corpo. E assim me debati mais do que pedalei... Mas nada como aprender com os erros...

 

Depois de um bocadinho, lá retomámos o percurso de regresso. Um cafezinho na sede dos Escuteiros de Caxias - as duas "comadres" estavam autenticamente a "aguar" pelos bolinhos hehehehe - e demos por concluída a nossa manhã..

 

HM

  

Aqui está uma visão da Marginal, junto à estação de Caxias...

 

HM

 

... Eh pá!, sai da frente que estragas a paisagem!

 

HM 

 

À noite, foi novamente uma ida de trabalho a Tires. 
 

Tive ocasião de assistir ao concerto de Paulo Gonzo, uma vez mais com as "duas comadres" como penduras.

 

Mas antes... toca de comer qualquer coisa boa numa das tasquinhas (mas desta vez não mostro nada à Isa Guerreiro para não a fazer sofrer... hehehehe)!...

 

Quanto ao espectáculo, foi bom ver actuar o Paulo (um dos autores/cantores que me gabo de conhecer pessoalmente, desde os tempos em que ele e o João Allain formavam o núcleo duro da "Go Graal Blues Band").

 

Rodeado de um excelente naipe de músicos, soube cativar a audiência, que participou activamente (e não foi preciso guincharia nenhuma - afinal, a faixa etária era um pouco superior rsss)  e com ele cantou os seus êxitos (certas pessoas da assistência tentavam cantar, mas isso é outra história...).

 

HM

 

E assim se encerrou uma semana bem movimentada.

 

Tenham uma boa tarde

 

 

Visitante

Sinto-me:
Música: "So Do I"
Domingo, 13 de Maio de 2007

Uma comparação

Olá, Visitantes,

 

 

Faço menção ao seguinte facto, no meu post "Relato Quase Desportivo":

 

(http://visitante.blogs.sapo.pt/7020.html)

  

"(Para quem, há ano e meio, estava com mais 20 kgs em cima dos ossos e não mexia uma perninha sem pedir licença aos pulmões, até que nem está mal... Além disso, já moram cá 50 aninhos, não é brinquedo...)"

 

Pois bem, aqui têm a imagem deste rapazinho em Novembro de 2006, e em Abril de 2005...

 

 

 

... e uma foto mais recente, tirada em 5 MAI 2007

 

H.M.

 

Ora bem, se eu consegui estabilizar o meu peso desde há algum tempo, devo-o sobretudo à prática diária de exercício físico, que reatei após longos anos de sedentarismo.

 

Não pratiquei nenhuma dieta em especial, apenas "cortei" alguns excessos.

 

É óbvio que poderia já pesar menos do que os 115 quilos actuais, mas eu entendo que este processo tem de ser gradual e sem pressas, para que o meu organismo se habitue...

 

É, pois, o meu conselho para quem queira enveredar por este caminho.

 

Percam peso, mas sem pressas... resulta muito mais.

 

 

Visitante 


Sinto-me:
Música: "Run Like Hell" (Pink Floyd)
Terça-feira, 1 de Maio de 2007

Estes são os "meus" locais de "Ginásio"....

Olá Visitantes

 

 

Estas são imagens dos locais onde eu costumo fazer o meu exercício físico.

 

 

HM
Praia da Cruz Quebrada e estuário do Rio Tejo, 1 MAI 2007

 

Esta primeira foto mostra a praia da Cruz Quebrada, a partir do local onde começa o calçadão da Gibalta, que se estende quase até à chamada "curva do Mónaco" da Estrada Marginal,

  

No meu post  "Relato Quase Desportivo" - http://visitante.blogs.sapo.pt/7020.html - vocifero contra um "mamarracho" construído à beira-rio... ali está ele, como que a tombar para o Tejo.

 

 

HM

Alto da Serra da Mira, vista para a Serra da Conceição, 1 MAI 2007

 

HM

Alto da Serra da Mira, vista para a Serra da Luz, 1 MAI 2007

 

HM

Alto da Serra da Mira, vista para o Casal de São Brás, 1 MAI 2007

 

As três fotos seguintes mostram o Alto da Serra da Mira, que, ocasionalmente, também frequento para me exercitar.

Após fazer corrida à volta da Urbanização recentemente construída nesta zona, costumo efectuar uma sessão de pesos e halteres neste local onde tirei as fotos.

 

Como podem ver, a paisagem é magnífica e abarca uma extensão enorme. Dali é possível vermos até ao Cabo Espichel (aliás, a última foto mostra-o lá ao fundo...), a Serra da Arrábida, Palmela, Barreiro, etc.

 

Posso dizer que em ambos os locais deixei bastante do meu suor...  

 

Visitante

 

 

 

 

P.S., em 5 MAI 2007:

 

A minha amiga Gaivota deixou aqui um comentário dizendo que via a casa dela na última foto.

 

Desculpa, querida amiga, mas o teu radar está mal afinado... rsss

 

AQUI SIM, algures, está a tua casa:

 

HM

Alto da Serra da Mira, vista para Alfornelos e Brandoa, Serra de Monsanto e Amoreiras, com Serra da Arrábida ao fundo, 1 MAI 2007

 

Visitante


Sinto-me:
Música: "Physical" (Olivia Newton-John)
Quarta-feira, 7 de Março de 2007

Relato quase desportivo

Foto H.M.

Rio Tejo visto da Quinta do Mira-Tejo

 

Depois de enfrentar algum do trânsito de Lisboa, com algumas "fintas" de permeio, próprias de quem conhece a Cidade de uma ponta à outra, eis-me chegado ao local que passei a eleger para os meus "crosses" diários.

 

Desde que a Refer e as autoridades portuárias tiveram a feliz ideia de instalar um calçadão na Gibalta, entre a estação de caminho de ferro da Cruz Quebrada e a Marginal, perto do Restaurante Mónaco em Caxias, as pessoas passaram a ter mais um local de lazer, onde, pelo menos, podem "estender as pernas".

 

Arrumado o carro, olho instintivamente para o céu, avaliando as condições actuais e próximo-futuras do tempo. O lusco-fusco pintou já um daqueles quadros que só a Mãe Natureza consegue e nem o talento conjunto de Van Gogh, Monet, Matisse, Munch, Picasso, Malhoa e outros consegue reproduzir.

 

(Xiii... deu-me para tentar ser poeta...)

 

Começo o meu aquecimento preparando-me para fazer uma corridinha de 1,5 km sem parar.

 

(Para quem, há ano e meio, estava com mais 20 kgs em cima dos ossos e não mexia uma perninha sem pedir licença aos pulmões, até que nem está mal... Além disso, já moram cá 50 aninhos, não é brinquedo...)

 

Durante essa corridinha, sou ultrapassado por ciclistas, jovens corredores de sangue na guelra (deve ser por causa de estarem junto ao mar, não sei...), e ocasionamente sobressaltado pelo trepidar furioso de um ou outro comboio que circula precisamente ao lado do calçadão.

 

Vem-me à memória os meus tempos de catraio, quando ia para a praia de comboio... Eu gostava especialmente daquele pedaço, onde o comboio circulava mesmo junto à água - o calçadão foi construído há relativamente pouco tempo -, e onde, como resultado da ilusão de óptica provocada pela inclinação nas curvas, a orla marítima parecia inclinar-se para a frente e para trás. Coisas de miúdo...

 

Chego ao final do calçadão com os pulmões a pedirem aflitivamente um sopro de ar.

 

Páro um pouco, distendo os tendões e aproveito para fazer uma... "escala técnica"... em local recôndito q.b.

 

Observo o tráfego da Marginal. São 19:00. Meu Deus, que vida tem aquela gente?...

 

Preparo o regresso ao ponto de partida. São mais 1.500 metros a correr... com calminha...

 

Vou olhando as luzes que se acendem já no promontório do Porto Brandão, bem como na Trafaria e em S. João da Caparica. Olho aquele ponto da Quinta do Mira-Tejo, de onde tive o privilégio de ver uma das mais belas paisagens nocturnas de Lisboa de que tenho memória. 

 

Vejo ao longe a sombra daquele mamarracho que construiram junto a Algés... que diabo, porque não deixam a zona ribeirinha sossegada? Porra, porque teimam em querer construir M*******das daquelas?!?!? 

 

Chego ao meu carro e tiro de lá os halteres. Agora vamos "trabalhar" os bracinhos.

 

Iço os halteres nos mais diversos exercícios enquanto o meu olhar vai pairando entre a Cova do Vapor, fazendo lembrar uma pequena ilhota de luzes pardacentas, o Farol do Bugio com o seu verde piscar, e o Forte de S. Julião da Barra, com ocasional desvio para o céu já escuro...

 

Termino com uma sessão de flexões abdominais já em esforço, banhado em suor.

 

Retorno ao carro e conduzo maquinalmente em direcção a casa, totalmente alheio a tudo.

 

É o fim de mais um dia.

 

Amanhã será... bom, como escrevi noutro local, "será o dia a partir do qual terei de procurar certezas", "será o dia em que alguém irá orientar-me para saber mais sobre mim", "será o dia em me serão prescritos alguns caminhos que terei de percorrer antes de saber algo mais"... 

 

..."E sempre com o pensamento na ténue linha que divide a vida e a morte"...

 

Boa noite aos/às outros/as Visitantes 

 

 

Visitante

 

 

Sinto-me:
Música: "Parisienne Walkways" (Gary Moore)

GENESIS - FADING LIGHTS